Pouca vergonha…

Notícia que saiu na sessão de política do Valor Econômico e que colo aqui para quem não quer se cadastrar no serviço deles (creio que o pessoal da revista vai entender que a importância do assunto justifica essa pequena quebra de copyright – se não entender eu tiro a cópia daqui):

Foro privilegiado terá prioridade no Congresso
Marluza Mattos , De Brasília

O presidente Fernando Henrique Cardoso e seus ministros poderão ter a garantia de que, se forem processados por atos cometidos durante o mandato, estarão protegidos por foro especial mesmo depois de deixarem o governo. Em resumo, não serão julgados pela Justiça comum.

Isso é o que determina um projeto aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados na véspera do recesso parlamentar. O projeto tem caráter conclusivo, o que significa que ele só será apreciado no plenário da Câmara no caso de uma nova votação ser solicitada por 51 deputados na forma de um recurso. Caso não ocorra, a garantia de foro privilegiado para o presidente segue para o Senado, onde há chances de ser aprovada ainda neste semestre. O projeto foi apresentado pelo deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) no dia 13 de março.

Ele não beneficia apenas as ex-autoridades do governo federal, mas atinge também ex-governadores, ex-secretários de Estado e outras autoridades. É a segunda tentativa de ampliação do foro privilegiado, que hoje vigora apenas durante a vigência do mandato. A primeira discussão ocorreu durante a Reforma do Judiciário. Diante da resistência de parte dos parlamentares de oposição, o assunto foi deixado de lado.

Preocupados com a possibilidade de o projeto ser aprovado com rapidez no Senado, os críticos da iniciativa planejam apresentar recurso. Eles têm prazo de cinco sessões do plenário para tentar submeter o assunto a mais uma votação na Câmara.

Apesar de o recesso parlamentar encerrar hoje, a volta à normalidade deverá ocorrer apenas na semana que vem. O presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), propôs um esforço concentrado para o segundo semestre , em que as votações ocorreriam entre os dias 6 e 7 de agosto e na última semana do mês.

Logo no início dos trabalhos a pauta estará trancada por duas medidas provisórias que já venceram o prazo legal de tramitação na Casa. A primeira cria cargos em comissão no Poder Executivo. Esses cargos devem atender ao Ministério de Minas e Energia, à Corregedoria-Geral da União, ao Centro Gestor e Operacional do Sistema de proteção da Amazônia (Censipam), à nova Secretaria de Estados do Direitos da Mulher, ao Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e à Casa Civil. A estimativa do governo é que esses novos cargos custem aproximadamente R$ 11 milhões.

Também está obstruindo a pauta a medida provisória que permite que Estados, municípios e empresas públicas e privadas, em processo de falência, possam parcelar seus débitos tributários. A medida ainda prevê um regime especial de pagamento da contribuição para o Pasep, além de conceder benefícios fiscais à instalação, ampliação e modernização de unidades industriais.

O texto inclui também um dispositivo que dá tratamento tributário isonômico entre a produção nacional e a importação de papel-jornal. Só depois da votação dessas duas medidas é que a Câmara poderá discutir o fim da cumulatividade do PIS/Cofins.

Primeira coisa: quem não deve não teme. Se o governo está tão desesperado querendo implementar uma lei absurda dessas é mais do que óbvio que há alguma coisa no ar além de aviões de carreira. Segunda: que efeito essa lei, se aprovada, terá sobre outras leis que foram criadas para moralizar o serviço público, como a lei de responsabilidade fiscal? Terceiro: a votação será em aberto? Se for prepare-se para anotar o nome de quem aprovou essa coisa absurda e avise amigos e conhecidos de que tal candidato não merece o voto de quem quer que seja. Quarto: bem que eu gostaria de ouvir a opinião do Serra sobre isso…

Desculpe se entrei no terreno da política, mas é que essa notícia realmente me irritou. E tenho que agradecer ao Mikhail Askhalsa pelo toque…

Chegou!


Chegou o EP do Casino aqui em casa! Sim! E o que estou achando? Uma delícia! É bom, muito bom, simplesmente bom. Tem que ouvir para entender. É música que ao se ouvir faz você se sentir dançando lentamente numa sala escura, sentir uma brisa de mar no rosto, a sensação de um abraço, felicidade misturada com melancolia. É música que quando você vê está batendo uma caixinha de fósforos imaginária, acompanhando o ritmo sobre a letra inteligente da canção. Desculpe se é assim que eu consigo descrever, mas a música foge das palavras. É música para ser sentida batendo de leve ali no ouvido e nada mais.

E já que falamos em música, hoje foi o dia… Além da belíssima programação ao meio-dia que teve na Unisinos FM hoje, de noite ainda teve Not So Easy na calourada da Unisinos (que foi prejudicada pelo fato de não terem podido passar o som antes e pela chuva durante o show) e Bleff e Tack-Ups mandando muito bem no Expresso 356. Aliás Tack-Ups me surpreendeu, já que tinha visto eles apenas no BR3 e o som não tinha sido muito bom. Sim, gostei do som que eles fazem. E a Bleff? Bem, eu gosto muito do trabalho deles, e estou na espera do lançamento do CD demo deles :-)

Unisinos FM

Quando falo para as pessoas que prefiro trabalhar ao meio-dia e ir almoçar um pouquinho mais tarde por causa da Unisinos FM tem gente que me olha enviazado. Mas fazer o que se a programação nesse horário é um absurdo de bom? Só para se ter uma idéia, hoje a o horário da Carmela começou com Brain Eno, que foi seguido de Massive Attack (Teardrop, com a voz maravilhosa da Liz Frase) e agora, nesse exato instante, está tocando John Coltrane.

É ou não é para se sentir em estado de graça?

Se a gente levar em conta o tempo chuvoso que está lá fora, com frio, vê que a escolha foi mais que feliz. Almoçar mais tarde? Qual é o problema?

 

Inexplicável

Como pude viver tanto tempo sem conhecer Frank Poole? Simplesmente ótimo o trabalho que esses caras fazem. Parece pós-rock feito por um amador, mas você vai percebendo a cada audição que a coisa é totalmente intencional. E quando você vê ficou 19 minutos ouvindo Saga Ok e quer botar a música para tocar de novo e de novo e de novo…

Echoes

Não é todo dia que se vê uma banda tocando de cabo a rabo Echoes, do Pink Floyd… Pois foi isso que o trio Kavañanos Pendejos (violão, baixo e teclado – de Campo Bom) fez hoje de noite na calourada da Unisinos. Valeu a pena dar uma esticada até onde os caras estavam se apresentando para dar uma olhada. Quando começaram tocando The Doors pensei \”hmmm, banda de cover\”, mas me enganei: eles souberam botar a personalidade deles na música, e o resultado ficou bom. E ainda mostraram duas músicas próprias (uma delas com cara de hit: Marta) antes de entrar na sessão viagem. Boazinha a banda… são meio verdes ainda, mas prometem. É esperar para ver.

Pesquisa Google: Charles

Entrando no Google.com.br, selecionando pesquisando páginas em português e procurando por Charles o primeiro link que aparece é Charles? Que Charles? :-) Pilger aparece em primeiro também, e quando você faz uma busca em pesquisar na Web aparece em quarto :-) Legal isso. Não serve para nada, mas é legal :-))