Poanet acaba de subir no telhado. Vamos ser sinceros: o projeto de um slashdot regional pode ser interessante, mas eu não tenho tempo para ficar me dedicando para ele, indo atrás de notícias, cuidando do sistema dele. Assim sendo, finito est. Por enquanto o espaço fica ali, sem nada, e outra hora eu vou pensar o que colocar ali.

Dia inteiro de cama. Gripe. Eu devia ter ido pro trabalho de manhã e lá ter falado com o médico para conseguir atestado para ficar em casa repousando, mas não estava em condições nem para isso. Já tinha ido falar com um médico da empresa ontem de noite, e ele me passou uma série enorme de remédios, mas eu me conheço bem e sei que não é me entupindo de remédio que vou me curar. Quando estou mal assim é sinal de que meu corpo tá pedindo água e precisa de uma paradinha. Assim, liguei para uma colega de trabalho e falei que ia ficar em casa. Ela, tendo visto o estado que eu estava ontem, compreendeu na hora que a coisa era séria. Fiquei então o dia inteiro na cama, debaixo de coberta, suando, e mandando remédio goela abaixo. A sensação de ter sido atropelado ainda não passou, estou com o nariz congestionado ainda, mas febre não tenho mais. Acredito que amanhã vou poder ir trabalhar sem problemas… Tomara.

Posso dizer que a festa comemorativa dos 10 anos do Linux em Porto Alegre foi um sucesso. Mesmo não tendo
aparecido todas as 26 pessoas que confirmaram, contamos com uma comparecimento de mais de 50% (depois eu coloco aqui na lista a relação de quem compareceu). Como eu não tenho experiência em promover festas não havia me tocado que isso é um percentual excelente :)) Assim sendo, tivemos 3 horas de bom papo geek, muito chop e Coca-Cola, além de histórias e mais história envolvendo computadores e Linux, assim como fotos e mais fotos com o simpático pingüim de geladeira que compareceu ao evento.

Aproveitou-se o encontro para decidir algumas coisas sobre o GU
Porto Livre:

  • Charles Pilger será o presidente e Luciano Goulart será o vice-presidente. A votação (como disse o Lages: ?!?!) foi por aclamação, com o Charles tentando tirar o corpo fora sem sucesso (hehehe)
  • O Luciano será o representante do GUPL no Projeto Software Livre
  • Seria modificada a denominação do grupo no YahooGroups de LinuxPOA para PortoLivre (Lages, obrigado por já ter providenciado isto)
  • Será realizada uma reunião mensal, com local e data a serem definidos, para o pessoal se reunir e jogar conversa fora, além de discutirmos coisas mais sérias como realização de eventos, etc.
  • Foi cobrado mais uma vez do Charles para que ele faça contato com professores de Direito para a realização de um seminário sobre o direito brasileiro e a GPL. Convém chamar a atenção que o Maron (criador das imagens para máquinas de bordado do Tux que estão disponíveis na página do CIPSGA e que fez um sucesso enorme entre os presentes com o seu belo blusão) disse que ele tem um amigo que está fazendo uma edição comentada da Constituição Brasileira e que, entre outras coisas, disse ao Maron que a atual lei do Direito Autoral é inconstitucional. Creio que seria interessante entrar em contato com esse advogado também…

Bem, basicamente é isso. Ficamos tristes se nem todos que
confirmaram puderam comparecer, mas tudo bem. Outras
oportunidades haverão de aparecer, e desde já estendemos o
nosso convite para que venham a participar de nosso grupo :)

A festa para comemorar os 10 anos do Linux saiu no Mundo Digital, do Universo Online :)



Ao todo 26 pessoas confirmaram. Espero que apareçam todas e não me façam pagar mico :)

Ontem a Márcia fez aniversário. Aqui vai uma foto do presente que eu dei para ela 😉


Bonzai para a Márcia

E ao que tudo indica encontraram as ossadas do médico João Carlos Haas Sobrinho, que era daqui de São Leopoldo e que nos anos de chumbo foi fazer a revolução, morrendo no Araguaia. O mais absurdo da história é que as ossadas ficaram “perdidas” durante 5 anos nos porões da Polícia Federal. Total e completa falta de respeito com os familiares :(

Estou organizando (é o termo que se usa, se bem que a coisa não está tão bem organizada assim hehehe) um encontro de usuários de software livre. Esse encontro também vai marcar a inauguração do GU Porto Livre, que é uma reestruturação do GU LinuxPOA. Afinal, software livre é um conceito que vai além do Linux, podendo ser aplicado em qualquer plataforma (tanto que há versões excelentes do Gimp, do Apache, além de outros software livres para Windows. Acrescente aí na lista o FreeBSD, o OpenBSD, entre outros sistemas operacionais, e então se verá que a coisa pode ir longe), e o nome LinuxPOA estava restringindo o grupo. Assim sendo, duplo motivo para se fazer festa. Interessados em participar podem pegar mais detalhes na TchêLinux ou no Projeto Software Livre RS.

E a Camila colocou um texto ótimo lá no milAMORis, falando sobre os problemas que afligem o Desembucha. Concordo plenamente com ela: aquele servidor está instável demais :(

A Márcia, minha querida namorada, me deu um livro: Guia do Solteiro – Como fazer de sua casa um confortável chiqueiro, de P.J.O‚Rourke. Está cheio de dicas bem legais para administrar o lar, tais como essa:

Toda cozinha deve ter uma lavadora de pratos. De preferência bem bonitinha, usando apenas um avental e nada mais. Na falta de uma, existe uma abordagem minimalista para se evitar pratos: usar pauzinhos chineses e a mão em concha. É meio complicado com ovos fritos. E há também uma abordagem minimalista inventada pelo roteirista da costa leste Bill Martin. Bill compra pratos em caixa nas lojas de 1,99. Depois das refeições ele põe os pratos na pia e abre a torneira até qua a água os cubra. Ele esvazia então uma dúzia de caixas de gelatina na água (o sabor favorito de Bill é limão). Quando a próxima carga de pratos está suja, ele repete o procedimento com outra camada de gelatina cobrindo os pratos e copos. Finalmente, quando a pia está cheia, Bill põe dois cabos de panelas grandes na última camada de gelatina. Isso permite criar um par de puxadores para que ele possa retirar toda a massa solidificada da pia, enterrá-la no quintal e sair para comprar mais pratos.

Mamãezinha dos céus, como é que eu nunca tive uma idéia genial dessas antes! Vou amanhã mesmo comprar um monte de gelatina e de pratos e talheres de plástico. O único problema vai ser achar um quintal para enterrar a coisa. É o que dá morar em apartamento… Já sei! A solução é óbvia: vou jogar pela sacada e pronto! Ah, problema resolvido!

E outro livro que estou lendo é o Vocabulário de Música Pop, de Roy Shuker. E lá no termo art rock temos que:

Apesar das muitas diferenças entre as bandas que podem ser incluídas no eclético campo da art rock, “todas tem em comum o compromisso de apresentar transições abruptas e inesperadas de tom. Às vezes, o artifício estava entre os tempos, algumas vezes entre os níveis de volume, outras entre o conjunto de estilos musicais. O efeito, de qualquer maneira, era violento, dilacerador e tenso” (Rockwell:1992;p.494). A art rock caracteriza-se: 1) pelo uso de rubricas musicais obscuras e mutáveis; 2) por não ser orientada para a dança; e 3) por apresentar uma certa obscuridade, particularmente nas letras. (…) A essas características pode-se acrescentar a ênfase ao solo de guitarra, ao uso de sintetizadores, à preferência por músicas longas (por mais de 20 minutos) e à importância das técnicas performáticas derivadas do teatro.

Ok, essa é a definição que se deu ao termo. Segue-se ainda alguns comentários negativos que os críticos de música erudita fazem (“pastiche de música clássica”, “superaniquilação brutalmente sintetizada”, etc) e como é comum em cada verbete a lista “Escutar”, onde estão:

  • Yes, The Yes Album, Atlantic, 1971
  • Procul Harum, “A Whiter Shade of Pale”, em The Best of Procul Harum, A&M, 1972
  • Pink Floy, Dark Side of the Moon, Harvest, 1973
  • Emerson, Lake & Palmer, The Besto of ELP, Atlantic, 1980
  • Radiohead, Ok Computer, Capitol, 1997

Hein? Radiohead? No meio desse monte de dinossauro? Com um disco cuja música mais longa tem 6m23s (Paranoid Android), que é um nada diante de 20 minutos ou mais das coisas citadas acima? O qué que é isso, Lombardi?

E para aqueles que como eu adoram música, aí vão dois sites que são uma beleza: Listen e GetMusic. Ambos oferecem videoclips via streamming nos mesmos moldes da Usina do Som. É simplesmente sensacional poder olhar quando quiser o Teardrop, do Massive Attack ou Cites and Dust, da Siouxsie & The Banshes, entre outras pérolas. Maravilha! :) Assim como é uma maravilha descobrir o nome de uma música que se gosta mas que nunca conseguia se pegar o nome direito, seja dela, seja da banda. No caso: Ballad of Peter Pumpkinghead, do XTC. par aquem não conhece vale a pena conferir: Muuuuito legal!

E falando em coisas legais, do M a N i F e S t O retirei uma dica e tanto, que é ::: presstube + pitaru = insertsilence :::. É realmente de olhar e se deliciar…

Com certeza o Brasil deve ter batido um record: hoje finalmente foi aprovado o novo Código Civil Brasileiro, depois de 26 anos de discussão. Agora é só esperar mais dois anos para ele entrar em vigor. Mas o que são 2 anos diante de 26? Um nada…

O jornal Valor Econômico pediu pro pessoal da W/Brasil fazer um anúncio qualquer. Saiu essa obra-prima: Tem gente achando que você é analfabeto, e você nem desconfia. Aliás, muito legal da parte do Dênis, da Concatenum, transcrever o texto e disponibilizá-lo na rede. É o tipo de iniciativa voluntária que está se perdendo na rede.

E via ICQ recebo do Jorge Rocha uma dica de revista eletrônica bem legal: Rizoma. Timothy Leary, net ativismo, psicodelia no Brasil, o UiVo de Allen Ginsberg e muito mais. Vale a pena dar uma olhada :)

Maravilhas da Internet: o novo álbum da Bjork, Vespertine, nem foi lançado ainda e já estou ouvindo todas as músicas. Está bom, mas muito bom mesmo! Dá até para a gente perdoar o fato dela sair vestida com um pato e sair colocando ovos por aí. A estréia mundial é agora dia 28 de agosto. Espero que não demore muito tempo pro CD ser lançado aqui no Brasil (e se vier com as músicas extras melhor) para não precisar importar a dita.