E o projeto de lei 708/03 ?

Pois é, depois tem gente que se pergunta porque é que eu não gosto de Copa do Mundo. Como bem chamou a atenção o jornalista Janer Cristaldo em seu blog, é bem nessa época que nossos caros políticos aproveitam para aprovar coisas como o projeto de lei 708/03, que aprovam novas normas para o exercício do jornalismo:

(…) o projeto, de iniciativa do deputado Pastor Amarildo, pretende mandar o país de volta mais longe ainda no tempo, para os dias da Idade Média, quando as guildas controlavam erreamente o exercício das profissões. No fundo, a intenção é sufocar a liberdade de expressão, regulamentando uma profissão que não pode ser regulamentada, o jornalismo. Se antes apenas exigia-se curso para o exercício do jornalismo, em função de um decreto-lei promulgado por uma junta militar em 1969, o novo projeto, aprovado pelo Congresso na calada da Copa, pretende enquadrar até mesmo colunistas e comentaristas. Ora, este dispositivo ditatorial não encontra paralelo em nenhum regime democrático do mundo. Jornalista é quem tira seus proventos do ofício de jornalismo e fim de papo.

O projeto do pastor é uma reação à rejeição da proposta de um Conselho Federal de Jornalismo, feita pela Fenaj (Federação Nacional de Jornalistas) e encaminhada em 2004 ao Legislativo pelo Governo Federal. Devido à pressão de jornalistas e proprietários de veículos de comunicação, a tentativa de cercear ainda mais a liberdade de expressão foi retirada no mesmo ano. De novo, as cotas. A guilda branca quer proteger a corporação. Enquanto o país se empolgava com a Copa, o projeto passou quase clandestinamente no Congresso. Depende agora de veto ou aprovação do Supremo Apedeuta. O espantoso é que tal dispositivo surge precisamente nestes dias de Internet, em que qualquer cidadão pode montar seu blog e fazer jornalismo a seu gosto.

Sim, ele está falando sério: comentarista é citado como sendo função do jornalista. O bonito é que a definição é uma contradição por si só, já que define comentarista como

XIII – Comentarista: o profissional que realiza avaliação, comentário ou crônica dentro de sua especialidade pelo rádio, televisão ou processo semelhante;

Ou seja: para se comentar algo num jornal precisa ser tanto jornalista como especialista na área. Ok, e quais são os critérios para definir especialidade? Pós-graduação? Trabalhar na área? E que perfil terá que ter o profissional de comentarista político? Será que além do diploma de jornalista terá que ter formação de cientísta político?

Bem, a Federação Nacional de Jornalistas divulgou sobre o assunto o seguinte:

Comentários jornalísticos já estavam previstos como atividades de jornalista profissional na legislação em vigor (artigo 2º, inciso II do decreto 83.284/79). O novo projeto mantém a atividade entre as 23 funções específicas. Mas tanto o decreto em vigor desde 1979 quanto o novo projeto-de-lei prevêem a figura do colaborador, especialista. Não há mudança, só marola das empresas. Qualquer um pode escrever em jornal. Desde que o dono permita. Mas o jornalismo só deve ser exercido por jornalistas. Qualquer um pode falar sobre Justiça, mas o exercício da profissão do Direito é exclusivo dos advogados e nunca a mídia se levantou para argumentar que a regulamentação da advocacia ameaça as liberdades individuais, tão preciosas como a liberdade de expressão.

Bem, não quero dizer nada, mas essa colocação aí não responde a questão maior, que é se não jornalistas poderão continuar comentando em jornais, afinal está no projeto de lei:

Art. 2º A profissão de jornalista compreende, privativamente, o exercício, por meio de processos gráficos, radiofônicos, fotográficos, cinematográficos, eletrônicos, informatizados ou quaisquer outros, por quaisquer veículos, da comunicação de caráter jornalístico nas seguintes atividades, entre outras:
(…)
– III – comentário, narração, análise ou crônica, pelo rádio, pela televisão ou por outros veículos da mídia impressa ou informatizada;

E aí? Como é que fica?

Update: como a GarotaDPI chamou a atenção nos comentários, o Lula vetou o projeto. Aliás, é muito interessante o seguinte trecho na justificativa do veto enviado para o Senado:

Verifica-se que o texto aprovado, embora permita uma interpretação conforme a Constituição, está redigido de tal forma que pode, eventualmente, constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social. Com efeito, ao reservar o exercício de comunicação de caráter jornalístico em meios eletrônicos ou informatizados, pode-se dizer que um blog de caráter jornalístico, ainda de um grêmio estudantil ou de uma associação de bairro, poderia ser impedido de funcionar sem um jornalista responsável, devidamente registrado. Assim, o texto da lei deveria ressalvar determinados meios de comunicação como passíveis de funcionamento sem a necessidade de um jornalista responsável.

Pois é, interessante ver como blogs cresceram a tal ponto que servem de justificativa para um veto presidencial… :-)

Figurinhas

Talvez o fenômeno mais interessante dessa Copa do Mundo tenha sido não o Ronaldo, mas sim o fato de que o álbum de figurinhas renasceu aqui no Brasil. Simplesmente fazia muito tempo que eu não via tal febre, com crianças e marmanjos fazendo trocas, negociações envolvendo figurinhas difíceis de encontrar, vendas de álbuns completos e por aí vai. Mas também o auê se justifica: a qualidade do material realmente é de primeira. Lembro que quando eu era criança até haviam alguns álbuns, mas geralmente eles eram murinhas, com figurinhas feitos com material de péssima qualidade, cores borradas, distribuição péssima e por aí vai.

Mas o mais legal é que hoje, além do material de qualidade, temos a Internet. E com ela temos a famigerada personalização. Ou seja, se você quiser você pode criar sua figurinha da Copa e comprar ela de lembrança. Sim, o prazo para comprar as figurinhas já passou e importar as ditas da Europa deve ser caro, mas o caso é que aí tá um exemplo legal do que dá para se fazer na rede.

Além, é claro, de fornecer a ferramenta que a gente precisa para uma que outra sacanagem. 😉

Mo’Better Blues

Não tem jeito… O meu maior problema é que nunca acabo nenhum projeto já que quando estou com ele em andamento aparece algo que chama totalmente a minha atenção e rouba a minha concentração. Confesso que estou me segurando para não largar tudo e me atirar de cabeça nisso:

Wired News – Real DJs Code Live

“I tend to fall back on pre-prepared scripts if it’s 3 o’clock in the morning and I’ve been drinking a lot,” he said. “If I manage to stay sober, I will be much more daring and start from no code at all.” Maclean, who plays up-tempo dance music with a trumpet-playing friend under the moniker Slub, performed and spoke on a panel at the Cybersonica festival in London in May.

He wrote his own custom text editor called Feedback.pl, which recompiles his programs continuously throughout a set. Every keystroke builds an evolving melody as his darting cursor adds and replaces functions and tempo variables. The live composition process is displayed to patrons on large projector screens.

Livecoders have formed an international consortium called TOPLAP, which stands for “temporary organization for the proliferation of live audio programming” and has 200 members. For them, livecoding is a philosophical challenge.

“By describing a musical idea in code, we’re describing it at a higher level than if we’re entering notes into a sequencer,” Maclean said.

Calma Charles, mantenha o foco, você tem várias coisas importantes para fazer, não vá perder tempo aprendendo ChucK, calma…

Glória glória aleluia

Finalmente acertei o jeito de fazer o Miojo Yakissoba. Ele nunca ficava parecido com o verdadeiro yakissoba que se come em restaurante chinês, que é meio mole meio duro. E eis que hoje finalmente consegui! O segredo? Botar pouca água de forma que quando se colocar o Miojo na água quente ela não cubra totalmente o mesmo. Deixe assim por dois minutos e só então, um pouco antes de tirar da água, se coloca todo o macarrão de molho. Fica beeeeem melhor do que seguindo a receita escrita na embalagem. :-)

E o próximo passo? Colocar vegetais de verdade na coisa. O pozinho é gostosinho coisa e tal, mas tá bem longe do gosto de um pedacinho de brócolis cozido.

Ainda bem que tem reprise às 18h30…

Pois é, eis que em menos de uma semana vou falar de novo na Walverdes… Mas também, fazer que se os caras só se metem em coisa boa?

From: Gustavo Mini Bittencourt
Subject: MINI, AGORA NA RÁDIO IPANEMA

Gente boa, é o seguinte.

Tou com um “drops” na Ipanema FM de Porto Alegre só sobre bandas independentes / novas / diferentes / massa.

Chama “LIGADO, PLUGADO, AMPLIFICADO”.

Eu falo um pouco sobre a banda e toco o som de segunda a sexta às 7h30 com reprise às 18h30, durante o programa College Radio. É uma banda por dia. Som de todo o canto do Brasil e vários estilos.

Às quintas ainda rola o podcast, com dez músicas e muito mais falação sobre tudo aquilo que a gente costuma bater papo: bandas, festivais, sites, aquela função toda. O podcast entra toda quinta no www.ipanema.com.br.

Espalhem essa informação pros parceiros e também torçam pro lance ir pra frente. Ainda está tudo em fase de experimentação, então aos poucos a coisa vai entrando nos eixos.

É nóis!

Algumas coisas que devem rolar nas próximas semanas nos programetes e no podcast.

Hablan Por la Espalda, MC Aori, Astronautas, MQN, Publica, Sonic Volt, Planondas, Fuzzly – Hole In The Way, Lucas Santanna, Fly X, 808 Sex, Karine Alexandrino, Bonsucesso Samba Clube, Hurtmold, Viana Moog, Montage, Coletivo Rádio Cipó, Cidadão Instigado, Cabaret Hitec, Zé Maria, Vanguart, Greande, Zé maria, Astronautas, Savave, Ossomosso, The Dolls, Hang The Superstars, Cravo Carbono, La Pupuña, Curumin, Lado 2 Stereo, Zefirina Bomba, Wry, Os Telepatas, Proto, Wado, Pedrada Afú, De Leve, Caxabaxa e por aí vai… tem muito mais coisa pra entrar… fiquem ligados!

Aproveitando o ensejo:

veja o novo clip dos Walverdes. Dia 11 ele estréia na MTV e em breve Walverdes em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraíba e Rio Grande do Norte.
mais info em www.walverdes.com/blog
e tem também o meu blog: www.conector.blogspot.com

Pois é… legal isso :)

E aproveitando, mais um fato walderístico: com a saída do Mac da Viana Moog quem está tocando bateria na gravação do disco da banda é justamente o senhor Marcos Rubnick.

Ficar desconectado é bom

Sexta-feira de noite fui lá pra casa da Taila. Fui e voltei para casa só agora a pouco, faltando oucos minutos para acabar o domingo. E no momento estou me divertindo horrores com os emails de listas de discussão da qual faço parte. Como estou lendo agora emails mandados antes da partida do Brasil contra a França não tenho como rir do otimismo ufanista que havia em cima do time perna de pau do Parreira. :-)

Aliás, aleluia que o Brasil perdeu. Agora os jornais desse país voltam a se preocupar com assuntos relevantes, coisas como… eleições.

Update: pois é, já cheguei nos emails pós-partida. Várias teorias da conspiração envolvendo Juca Kfouri, numerologia, Nike (prá variar) além da questão “E agora? Torcemos pelo Felipão?”. Por mim tanto faz, o importante é que o preço dos aparelhos de TV nas lojas devem cair uns 30% nessa segunda-feira e até é de se perguntar se vale a pena comprar um aparelho para ficar olhando DVD. O quê? Antena? Prá quê? Prá ficar olhando essa palhaçada que é a TV brasileira? Tô fora!

Update 2: faço minhas as palavras do Janer Cristaldo.