Por favor, não toquem um requiem

Esses tempos (quase um ano isso, ou mais até) eu estava conversando com o Darisbo sobre o que de interessante está sendo feito na área da música aqui no Rio Grande do Sul. Falávamos sobre a estagnação do rock gaúcho (aqui querendo dizer sobre rock feito por bandas do estado, e não o rótulo aplicado pelo pessoal lá de cima do país usa para definir como sendo rock engraçadinho), sobre a estagnação na MPB feita por aqui, sobre o marasmo enfim. Foi nessa ocasião que o Darisbo me chamou a atenção dizendo que, se havia alguma coisa de novo sendo feito, essa vinha através da Orquestra Unisinos. Tive que concordar. Simplesmente o trabalho do maestro José Pedro Boéssio se manteve com qualidade mesmo com o trágico falecimento deste, e se mostrava vivo e pulsante. Bem, se mostrava…

J.U. Online: Mudanças na área cultural

Na área cultural, a Unisinos opta pela potencialização do Movimento Coral, aberto a toda comunidade. O incentivo e o investimento da universidade no canto-coral são plenamente justificáveis. São 40 anos de história e uma trajetória ainda em expansão. Nascido em 1966, apenas como Coral Unisinos, a realidade atual contrasta com o passado. Atualmente, mais de 200 vozes integram o Movimento Coral Unisinos, criado em 1993. Hoje, com sucesso nacional, é formado pelos corais Unisinos, Infantil, Infanto-Juvenil, Juvenil, Meio-Dia e Coral Maior.

Já as atividades da Orquestra Unisinos, incluindo os cursos do Sinos Acorda,ficam suspensas a partir deste mês. A decisão se adequa à linha de gestão da nova Reitoria, que tem a austeridade como guia para o projeto institucional de longo alcance. A universidade busca concentrar esforços em sua atividade-fim (oferta de educação superior de qualidade), estando aliada à necessidade de sustentação econômico-financeira. Para possibilitar o retorno das atividades da Orquestra, a Unisinos prossegue buscando parceiros para tornar viável esse projeto que, mesmo sendo da universidade, tem uma interação direta com a comunidade.

Espero que a Unisinos consiga encontrar tais parceiros. Seria lamentável se um projeto tão bom morresse em função das dificuldades financeiras pela qual a instituição está passando. 🙁

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta